amores expresos, blog da Antonia

domingo, 4 de novembro de 2007

Diz um verso do Paulinho da Viola que “voltar é sempre partir para um outro lugar”, e eu acho isso lindo. Ontem parti para Mumbai, minha “casinha” provisória, meu barraco com rato no corredor. Estava com muita saudade de um bom banho quente e dos meus cremes L’occitane. O bolota que trabalha de terno na recepção mas usava uma camisa listrada de manga curta pareceu que sentira minha falta, sorriu quando me viu sair do táxi e foi abrir a porta de vidro do hotel. O guardinha iraquiano também ficou feliz ao me encontrar saindo do elevador, eu perguntei-lhe se estava tudo bem, e ele disse que sim, então perguntou-me se tudo estava legal, ao que respondi: fine. A cidade que já é muito iluminada pelas luzes do progresso não é mais a mesma, está ainda iluminada por lâmpadas, velas e abajures coloridos em forma de estrela ou peixe, pois está sendo vestida para o Diwali - uma espécie de ano novo e natal dos indianos, quando eles se reúnem para comer doces de nozes e pistache e comemorar a volta de Rama do exílio. Eu havia feito uma lista de afazeres para a volta, mas talvez nao cumpra nenhum deles. Sabe quando chega o clímax de um filme e depois ainda tem um tempo meio morto antes de acabar? Então, é isso.

***

Daqui três noites eu vou dormir agarrada ao meu amor.

***

Quando encontrá-los, eu vou beijar a boca do Rodrigo Teixeira e do João Paulo Cuenca.

3 Comentários:

Blogger samba no varal disse...

Olá Antonia,
gostei muito do filme, mas só saio quando as luzes se acenderem...
Um abraço
adriana

5 de novembro de 2007 01:45  
Blogger Antonia Pellegrino disse...

ô, querida, que lindo! obrigada por ter estado sempre aqui. um beijo grande da sua, Antonia

5 de novembro de 2007 22:24  
Blogger Leitora disse...

Cremes L'occitane é o cúmulo do burguesismo, hein?

22 de março de 2008 19:51  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial